Câmara aceita denúncia contra Wellington Magalhães, e votação será amanhã

Wellington MAga

Parlamentares decidem se abre ou não uma comissão processante para cassar o mandato do colega

A presidência da Câmara Municipal de Belo Horizonte protocolou na tarde de ontem a admissibilidade das denúncias apresentadas contra o vereador Wellington Magalhães (DC). Os textos serão lidos e apreciados pelo plenário na sessão de amanhã. São necessários 21 votos para que uma comissão processante seja instaurada com o objetivo de apurar supostas irregularidades e possível quebra de decoro parlamentar por parte do ex-presidente.

Na decisão apresentada pela presidente Nely Aquino (PRTB), as representações feitas pelo vereador Mateus Simões (Novo) e pelo advogado Mariel Marra merecem ser analisadas mesmo tratando-se do mesmo tema que a Casa investigou no ano passado, as supostas irregularidades em contratos no período em que Magalhães presidiu o Legislativo. “As representações em questão colacionaram novos elementos passíveis de análise caso seja constituída a comissão processante”, diz o documento.

Na denúncia apresentada inicialmente, Simões elencou quatro pontos para a quebra de decoro: o ex-presidente fazer uso obrigatório de tornozeleira eletrônica, por ordem judicial, criando constrangimento aos demais parlamentares; Magalhães ter ficado foragido da polícia; ter em abuso de suas prerrogativas e proveito exclusivamente próprio, promovido alteração de distribuição espacial no âmbito da Câmara; além de ter ameaçado outros vereadores.

Fechar Menu